sábado, 28 de julho de 2018

Orca carrega filhote morto há 4 dias

Há quatro dias...

Sim, há QUATRO dias uma Orca "carrega" seu filhote morto
pelas águas do Noroeste americano...




Foi com imensa tristeza que o Center for Whale Research (uma das principais entidades de pesquisa sobre Orcas e demais cetáceos na região do estado de Washington, nos EUA) comunicou o nascimento e a morte de um filhote de Orca Residente do Sul perto de Victoria, Colúmbia Britânica, no Canadá, em 24 de julho.
A recém-nascida foi vista viva e nadando com sua mãe, identificada como J35, e demais membros do pod J perto de Clover Point, na costa de Victoria, no meio da manhã. Uma equipe do Center for Whale Research estava na área do Estreito de Haro e registrou o nascimento assim que ocorreu.
No entanto, quando outra equipe foi ao encontro do grupo para efetuar mais registros, o filhote já estava morto... Seu pequeno corpo estava afundando e a mãe ficava repetidamente o impulsionado para a superfície e o empurrado com a testa em meio ao mar agitado. Ela continuou fazendo isso até o por do sol do mesmo dia...
Uma moradora da ilha San Juan, local para onde o pod se deslocou com o filhote, contou o que viu: “Quando o sol estava se pondo, um grupo de cinco ou seis fêmeas se reuniu no centro da enseada formando um pequeno círculo, permanecendo na superfície em um harmonioso movimento circular por quase 2 horas. Quando foi escurecendo, pude observá-las ainda nesse movimento que parecia ser um ritual, uma cerimônia. Elas ficaram centralizadas bem abaixo do círculo formado pela luz da lua, mesmo quando se moviam. Estava muito escuro para ver se o filhote ainda estava sendo mantido na superfície. Foi triste e especial testemunhar esse comportamento. Sinto muito pela J35 e seu lindo bebê.”
Ao final do dia 25, J35 ainda estava empurrando o filhote morto pelas águas canadenses...
É comum ver Orcas e golfinhos carregando seus filhotes mortos por até uma semana, prova incontestável de carinho e de um vínculo materno incrivelmente forte.
A orca recém-nascida não receberá uma designação alfanumérica como membro da população das Residentes do Sul (também chamadas pela sigla em Inglês SRKW – Southern Residents Killer Whales) porque não sobreviveu tempo suficiente para demonstrar sua viabilidade.
Lamentavelmente, aproximadamente 75% dos recém-nascidos nas últimas duas décadas após a designação dessa população como espécie ameaçada não sobreviveram e 100% das gestações nos últimos três anos não produziram descendentes viáveis. Elas já receberam destaque em órgãos governamentais de pesquisa e controle como espécie com ameaça iminente de extinção.
Vários grupos se manifestaram esta semana alegando que a perda deste filhote exalta a urgente necessidade de ações para salvá-las.
O governador de Washington, Jay Inslee, assinou uma ordem executiva em março, ordenando que agências estatais tomassem medidas imediatas para ajudar as Orcas, além de ter formado uma equipe que está se reunindo desde maio para analisar a situação e apresentar recomendações até o final deste ano.
“A morte desse filhote é um lembrete devastador da urgência que enfrentamos ao salvar esses animais tão especiais”, escreveu o porta-voz do governador, Jaime Smith, por e-mail.
Até a noite de ontem, relatos da região dão conta de que a J35 continua carregando o filhote, mesmo demonstrando imenso cansaço. Sua respiração quando vem à tona está mais longa e profunda, e tudo indica que está sendo alimentada pelos outros membros do pod já que ela não parou para pegar nenhum peixe.
Pesquisadores que acompanham sua luta já disseram que não desistirão enquanto ela também não desistir...





Nenhum comentário:

Postar um comentário